A leitora – The reader

•October 9, 2014 • Leave a Comment

000027

A leitora abre o espaço num sopro subtil.
Lê na violência e no espanto da brancura.
Principia apaixonada, de surpresa em surpresa.
Ilumina e inunda e dissemina de arco em arco.
Ela fala com as pedras do livro, com as sílabas da sombra.

Ela adere à matéria porosa, à madeira do vento.
Desce pelos bosques como uma menina descalça.
Aproxima-se das praias onde o corpo se eleva
em chama de água. Na imaculada superfície
ou na espessura latejante, despe-se das formas,

branca no ar. É um torvelinho harmonioso,
um pássaro suspenso. A terra ergue-se inteira
na sede obscura de palavras verticais.
A água move-se até ao seu princípio puro.
O poema é um arbusto que não cessa de tremer.

António Ramos Rosa

Falo de ti às pedras das estradas

•August 2, 2014 • Leave a Comment

Filipe Barroso-231

Falo de ti às pedras das estradas,
E ao sol que e louro como o teu olhar,
Falo ao rio, que desdobra a faiscar,
Vestidos de princesas e de fadas;

Falo às gaivotas de asas desdobradas,
Lembrando lenços brancos a acenar,
E aos mastros que apunhalam o luar
Na solidão das noites consteladas;

Digo os anseios, os sonhos, os desejos
Donde a tua alma, tonta de vitória,
Levanta ao céu a torre dos meus beijos!

E os meus gritos de amor, cruzando o espaço,
Sobre os brocados fúlgidos da glória,
São astros que me tombam do regaço!

Florbela Espanca

Agora que Sinto Amor

•August 2, 2014 • Leave a Comment

Filipe Barroso-228Agora que sinto amor
Tenho interesse no que cheira.
Nunca antes me interessou que uma flor tivesse cheiro.
Agora sinto o perfume das flores como se visse uma coisa nova.
Sei bem que elas cheiravam, como sei que existia.
São coisas que se sabem por fora.
Mas agora sei com a respiração da parte de trás da cabeça.
Hoje as flores sabem-me bem num paladar que se cheira.
Hoje às vezes acordo e cheiro antes de ver.

Alberto Caeiro

Vai lá longe, na floresta…- Go far away, in the forest…

•February 18, 2014 • Leave a Comment

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Vai lá longe, na floresta,
Um som de sons a passar,
Como de gnomos em festa
Que não consegue durar…

É um som vago e distinto.
Parece que entre o arvoredo
Quando seu rumor é extinto
Nasce outro som em segredo.

Ilusão ou circunstância?
Nada? Quanto atesta, e o que há
Num som, é só distância
Ou o que nunca haverá.

Fernando Pessoa

Como irmãos …

•February 11, 2014 • Leave a Comment

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Este são os cães do meu tio. O meu tio que não é bem meu tio, pois para mim ele é como um irmão mais velho. Aquele que faz as brincadeiras malucas que os pais não querem fazer.

Mas, falando dos seus cães… O Bilbo, o mais encaracolado, que nasceu no mesmo ano que eu; e como tal crescemos juntos. Agora tenho 10 anos, assim como o Bilbo, eu quase na pré-adolescência, o Bilbo já um cão maduro e sabichão, com muita experiência. Super carinhoso e cuidadoso. Adora crianças! E como o meu tio é um irmão, criei com este seu cão, também uma relação de irmão! Brincámos aos cowboys, ao OO7, ao indiana jones, e ele é sempre o meu companheiro.

O outro cão é o Mel que surgiu quando tinha eu dois anos, o meu tio recolheu-o da rua, onde alguém o tinha abandonado. Com o Mel foi diferente, eu ainda era pequenino e não o conhecia bem, ele era mais temperamental, irrequieto, nervoso, um pouco louco mesmo. No inicio tinha algum medo, mas com o tempo ele foi-me mostrando que queria também ser nosso irmão. Continua com o seu temperamento, os anos e a maturidade parecem não o atingir, mas é isso que nos faz rir e divertir. E estes são os nossos momentos e somos 4 irmãos, sempre prontos para a brincadeira e divertimento!

Filipe Barroso

Bilbo e a Floresta Mágica

•February 11, 2014 • Leave a Comment

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Ainda que te chames Bilbo, não foi aqui, nesta floresta mágica e encantada (serra de Sintra) que te conheci…

Eu fiquei imediatamente enfeitiçada contigo, mas o contrario não se verificou…e como dizia o teu dono -”É difícil de conquistar!”…

Não sei em que momento te consegui conquistar ou se simplesmente foi acontecendo em vários momentos.

Agora que olho para trás, que vejo a nossa relação diária, parece que afinal todos os momentos da nossa relação foram assim, como este, de pura alegria e encantamento.

Mas, na verdade, basta sentir a tua alegria quando ouves  a minha voz, o teu entusiasmo quando eu te acaricio o pelo…ou simplesmente a calma que sinto quando encosto a minha cabeça ao teu corpo (como ilustra esta imagem) para fechar os olhos e viajar novamente para um local encantador… Onde as minhas gargalhadas, os teus latidos, a nossa felicidade, ecoam … aumentando o encanto do local, porque a magia está nesta nossa especial relação.

Vera Gonçalves

encosta-te a mim…

•February 11, 2014 • Leave a Comment

 

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Bilbo ainda bem que paraste, que te cansaste ! Bola para cá ,bola para lá….Uhf! estou como tu de língua de fora … gosto tanto destas brincadeiras das tuas lambidelas, dos teus caracóis macios e fofinhos…Vá, vamos descansar Bilbinho, encosta-te a mim…”

Teresa Barroso